Exposição sobre a Biodiversidade em Inhambane (Agosto de 2018)

A BIOFUND realizou de 03-12 de Agosto de 2018, a IV Exposição de Biodiversidade, intitulada “A Cultura de Conservação e o Desenvolvimento Sustentável”, na cidade de Inhambane, província de Inhambane.

Este evento teve como co-organizadores o Ministério de Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH), a Universidade Pedagógica (UP), a Fundação Universitária para o Desenvolvimento da Educação (FUNDE/A Politécnica) e o Governo da Província de Inhambane.

A exposição teve como objectivos principais, a partilha de informação e conhecimento sobre a importância e necessidade de conservar a biodiversidade do nosso país, dando particular ênfase à riqueza de biodiversidade da província de Inhambane, realizando através de várias intervenções uma análise profunda aos riscos e desafios existentes na conservação da biodiversidade e as sinergias dos diferentes sectores. (clique aqui para ver o relatório geral do evento)

Foram duas semanas dedicadas a exposição (clique aqui para rever o programa da exposição), exploradas por mais de 5000 mil visitantes, dentre eles: membros do Governo e parceiros, estudantes e professores de instituições de ensino superior, secundário e primário, e a sociedade civil em geral, que participando nas actividades programadas, tiveram a oportunidade de conhecer mais sobre o rico património natural do nosso país. Houve ainda a oportunidade de partilhar informações de temas sobre conservação relevantes para a província de Inhambane, bem como os principais projectos relacionados a conservação e desenvolvimento comunitário que decorrem na mesma província, partilhando a possibilidade de potenciais sinergias a curto e médio prazo entre os parceiros.

O mascote escolhido para a IV edição da Exposição de biodiversidade de Inhambane foi o dugongo, que foi construído a partir de material reciclado. As comunidades foram envolvidas no processo e foram colectados nas praias mais de 40 quilogramas de chinelos.

A exposição foi solenemente inaugurada nas instalações da Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Inhambane (ESHTI), por Sua Excelência o Governador da Província de Inhambane, Dr. Daniel Chapo. Contou também com intervenções do Director da Administração Nacional de Áreas de Conservação, Mateus Mutemba, e Dr. Oscar Monteiro, membro do Conselho de Administração da BIOFUND.

O programa do evento incluiu:

O Fórum (3 de Agosto) sob o tema “Harmonizando o Desenvolvimento Económico e a Conservação da Biodiversidade” presidido pelo Professor Doutor Narciso Matos – membro do Conselho de Administração da BIOFUND e contou com a presença de cerca de 150 representantes do Governo, sociedade civil, academia e sector privado, bem como especialistas de várias instituições de pesquisa a nível nacional e internacional onde foram discutidos vários aspectos relacionados com o desenvolvimento económico do país com enfase para a indústria de mineração versus a conservação de biodiversidade em Moçambique, apresentações detalhadas nos links abaixo:

A Exposição de Biodiversidade (3 a 12 de Agosto) “A Cultura da Conservação e o Desenvolvimento Sustentável” teve 3 temas principais expostos em 76 painéis temáticos (68 globais e 8 locais): habitats e espécies aquáticas, habitats e espécies terrestres e projectos/espécies relevantes em Inhambane. A exposição contou com mais de 5 000 visitantes.

Palestra e sessão de observação de aves da Baía de Inhambane com um especialista internacional, Gary Allport. (clique aqui para ver a apresentação)

O lançamento do Mapa das Artes para a cidade de Inhambane, presidido por Sua Exa. o Governador da Província de Inhambane, Dr. Daniel Chapo, em parceria com o Mapa das Artes, primeiro mapa produzido com os principais pontos históricos, culturais e de biodiversidade da cidade de Inhambane, Tofo, Tofinho e Barra. Esta sessão contou com mais de 60 individualidades da província de Inhambane.

Projecção de filmes e networking (9 e 10 de Agosto) em sítios chave da cidade de Inhambane, Zoom +1 Lounge Bar e Restaurante Bistrô O Pescador, em parceria com a CCS Itália e que envolveram a participação de parceiros e público em geral.

Divulgação do cartão bio do BCI (3 de Agosto) no Hotel Casa do Capitão, primeiro cartão de débito no país feito com materiais reciclados, cuja percentagem de uso reverte a favor de projectos de biodiversidade em Moçambique.

A Feira de Biodiversidade (9 a 11 de Agosto), realizada durante 3 dias e que contou com a participação de mais de 40 expositores do Governo, Academia, ONGs e projectos de conservação e desenvolvimento sustentável. Nos dias da feira estiveram presentes mais de 1300 visitantes. (Clique aqui para ver a lista dos expositores).

Actividades e jogos para crianças (6 a 10 de Agosto), incluindo jogos didácticos e concursos, com destaque para concursos de identificação dos sons de animais e desenhos sobre biodiversidade, organizados pela FUP e pela CCS Itália.

Programa de educação ambiental no campo, entre 9-12 de Agosto, incluiu actividades de limpeza de praia, observação de baleias, visitas a áreas de mangal e áreas marinhas de conservação comunitária, abrangendo 36 crianças, provenientes do Zinave (10 alunos da EP 1º e 2º grau de Covane), Bazaruto (6 alunos da EP 1º e 2º grau de Bazaruto ) e da Praia da Barra (10 alunos da EP 1º e 2º grau de Conguiana). Este programa novo para a BIOFUND, foi possível de realizar graças ao apoio da Marine Megafauna Foundation, All Out Africa, Ocean Revolution, Instituto de Investigação Pesqueira de Inhambane, Let´s Do It (Carlos Serra) e ESHTI, assim como o patrocínio da Peace Park Foundation (PPF), African Parks (AF) e ADPP. (Clique aqui para ver o relatório do programa ambiental).

Sessões de educação ambiental (6 a 10 de Agosto) palestras e actividades de limpeza de praia conduzidas pelo ambientalista Carlos Serra, dirigidas a todos os visitantes do evento, como parte da campanha do Let’s do it World! para o World Cleanup Day (15 de Setembro), do qual Moçambique fez parte este ano.

Mais de 25 palestras, debates e minicursos (6 a 10 de Agosto), que foram acompanhadas por mais de 1400 participantes, inseridas em temas de relevância para a província de Inhambane, nomeadamente:

  • Tema 1: Biodiversidade e conservação na Província de Inhambane;
  • Tema 2: Ecoturismo, Comunidades e Conservação da Biodiversidade na província de Inhambane;
  • Tema 3: Alterações climáticas – desafios para a conservação da biodiversidade;
  • Tema 4: Promovendo o desenvolvimento sustentável em Inhambane.

Sala de filmes onde foram preparados para projecção, filmes de curta-metragem de biodiversidade integrados na temática do evento, aos quais assistiram mais de 2 200 participantes, durante 10 dias (Clique para ver a lista de filmes).

Este evento impulsionou um melhor entendimento sobre a necessidade de preservar a biodiversidade em prol de um desenvolvimento sustentável, identificando problemas e desafios a enfrentar a curto, médio e longo prazo em particular em Inhambane. Ajudou também a identificar, juntar e fortalecer sinergias de organizações que trabalham em áreas interligadas e muitas vezes interdependentes. Esperamos que os efeitos deste evento resultem em iniciativas e projectos que beneficiem a conservação da biodiversidade na província de Inhambane.

Este evento foi preparado e executada com apoio de vários parceiros locais, nacionais e internacionais. Destes, destacam-se a Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Inhambane da Universidade Eduardo Mondlane (ESHTI-UEM), a Fundação Universidade Pedagógica (FUP), a Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC), Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID)/Counterpart Internacional, Consortium of African Funds for the Environment (CAFÉ), Latin American and Caribbean Network of Environmental Funds (RedLAC), Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), Wildlife Conservation Society (WCS) através do Projecto COMBO, African Parks, Fundo Nacional para o Desenvolvimento Sustentável (FNDS), BCI, Cooperação Alemã para o Desenvolvimento (GIZ) e Centro Cooperazione Sviluppo Moçambique (CCS Italia).