Estudo de Lições Aprendidas e Boas Práticas de Reabilitação do Mangal: Avaliação do programa de restauração de mangal no Estuário do Limpopo (Gaza), Tsolombane em Matutuine (Maputo), Nhangau (Sofala), Inhassunge e Macuze (Zambézia) e Mecúfi e Metuge (Cabo Delgado)




Moçambique está entre os cinco Países com a maior área de mangal em Africa, sendo o primeiro na África Oriental. Estas florestas cobrem mais de 305.400 hectares ao longo das costas sul, centro e norte, e desempenham um papel muito importante na vida das comunidades locais. Formas de uso intensivas e não sustentáveis concorrem para a degradação do mangal no país, e entre as principais ameaças se destaca a exploração de recursos madeireiros, a expansão urbana e causas naturais. No país, estão em curso várias iniciativas de restauração de florestas de mangal, com o objectivo principal de restaurar as suas funções ecológicas e socioeconómicas, cujas comunidades locais são os primeiros beneficiários. Este estudo tem por objectivo documentar várias experiências de restauração de mangal no país, analisando de forma crítica todo o processo de restauração, e permitindo um aprendizado de lições positivas, assim como identificação de aspectos por melhorar. Também visa estabelecer as bases para o desenho de uma Estratégia e Plano de Acção Nacional para a restauração de mangal no país. Foram visitados 6 locais abrangidos pelo PASA, com o programa de restauração de mangal, a saber: no sul (na Província de Maputo, no Distrito de Matutuine, em Tsolombane; na Província de Gaza, no Distrito de Xai-Xai, Posto Administrativo de Zongoene, na Foz do rio Limpopo Povoado de Mahielane). No centro (na Província de Sofala, Distrito da Beira, em Nhangau; Província da Zambézia, Distrito de Inhassunge em Mussama e Distrito de Namacurra em Macuze). Norte (na Província de Cabo Delgado, Distrito de Mecúfi e Distrito de Metuge). No geral pode se concluir que o programa de reabilitação de mangais deixou como principal legado o aprendizado, que vai permitir que no futuro as falhas sejam corrigidas e melhores programas sejam implementados. Contudo, vale salientar que o processo de restauração do mangal deve ser contínuo, sendo que a capacidade técnica, o monitoramento/acompanhamento a sensibilização e envolvimento da comunidade, a parceria com outras entidades não-governamentais ao lado de uma planificação adequada são factores importantes para o sucesso do programa.








- Cabo Delgado;
- Gaza;
- Maputo;
- Sofala;
- Zambézia




- Português


- Nenhuma restrição


- Biodiversidade Florestal;
- Biodiversidade Costeira


- Avaliação do Impacto Ambiental, Planos de Gestão Ambiental, Planos de Contrabalanços da Biodiversidade, e afins


- Identificação, Monitoria, Indicadores e Avaliações;
- Uso Sustentável da Biodiversidade


- Parque Nacional das Qurimbas;
- Parque Nacional de Limpopo;
- Reservas Florestais



Download