Dia Mundial da Preservação da Camada de Ozono

Foto-de-Diogo-Duarte

16 de Setembro é celebrado, desde 1987, como o Dia Mundial da Preservação da Camada do Ozono, no contexto do protocolo assinado em Montreal, que promove a redução da emissão de gases nocivos à camada de ozono e com o objetivo de alertar consciências para a necessidade da proteção do planeta. Em alusão, a ONU declarou a data como Dia Mundial para a Preservação da Camada do Ozono.

A camada de ozono é uma camada de gás situada ao redor do planeta que se localiza a aproximadamente 20 a 35 km de altitude. É essa camada a responsável por garantir que todos os seres vivos da Terra fiquem protegidos contra os efeitos nocivos dos raios ultravioleta emitidos pelo Sol. Sem ela, provavelmente não existiria vida.

Em 1985, foi descoberto um buraco na camada de ozono sobre a Antártida. Os químicos sintéticos CFC, usados em aerossóis, refrigerantes, solventes ou na produção de espuma rígida de empacotamento, foram os principais culpados pela destruição do ozono estratosférico. Esta camada é fundamental para os seres vivos porque absorve mais de 95% da radiação ultravioleta proveniente do Sol. A resposta a este problema foi Protocolo de Montreal.

O aumento exponencial do uso de combustíveis fósseis (ex: petróleo e derivados), associado à desflorestação, nomeadamente, por incêndios florestais (sendo as árvores naturais consumidoras de dióxido de carbono) também causas do agravamento do efeito de estufa.

Vários estudos indicam entre as medidas que podem corroborar para conservação da camada do ozono: a reciclagem de materiais,  preferência por produtos que respeitem o ambiente, redução do consumo de plásticos e embalagens. São ainda a referidas como ações preventivas, a plantação de árvores, a redução de viagens de carro, redução de uso de sprays,  a troca de lâmpadas convencionais por florescentes e o desligar dos aparelhos eletrónicos quando não utilizados.