Primeira administradora da APAIPS já instalada no distrito de Angoche, província de Nampula

O processo de estabelecimento das condições de gestão da Área de Protecção Ambiental das Ilhas Primeiras e Segundas (APAIPS), deu um passo significativo com a criação de condições de alojamento a nível local para a Administradora Ricardina Matusse, a partir de Outubro de 2019.

Estas condições vão permitir que Ricardina Matusse, primeira administradora da APAIPS, nomeada pela ANAC em Dezembro de 2018, possa iniciar integralmente as suas funções e estabelecer as restantes condições para o funcionamento da sede administrativa da APAIPS na cidade de Angoche, na província de Nampula. Esta presença da ANAC no terreno, é importante para reforçar e expandir actividades de coordenação e colaboração, com outros actores já a trabalhar nesta Área de Conservação.

Este apoio logístico foi possível com recursos financeiros da BIOFUND, resultantes dos rendimentos anuais do endowment (fundo de capital investido a longo prazo, onde somente são utilizados os seus rendimentos anuais) doado pela Conservation International, especificamente para o apoio a longo prazo desta Área de Conservação de grande biodiversidade e riqueza biológica.

A APAPS foi oficializada pelo Decreto n° 42/2012 emitido em 12 de Dezembro de 2012.

Uma das principais razões que motivaram a criação da APAIPS é o facto de tratar de um grande sistema de influência marinha onde se desenvolve uma grande “cordilheira de recifes” de profundidade que em certos locais afloram à superfície, com grande riqueza em diversidade biológica, constituindo parte integrante da Eco-Região marinha da África Oriental que vai do Sul da Somália até a costa de Kwazulu-Natal na República da África do Sul (RAS). Esta área de protecção ambiental permite garantir a integridade da ligação entre os habitats costeiros e marinhos, física e ecologicamente, destacando-se:

  • Florestas de mangal ao longo dos vários estuários;
  • Tapetes de ervas marinhas;
  • Recifes de coral;
  • Grandes bancos de areia formando parte do banco de Sofala;
  • Gradientes de água desde da costa até profundidades de mais de 1000 metros em menos de 25 a 35 km da costa albergando diversas espécies vegetais e faunísticas

Devido a sua importância ecológica, a APAIPS é uma área que poderá trazer benefícios económicos sociais ambientais às comunidades dentro da mesma, sendo importante um envolvimento efectivo destas e permanente fiscalização das autoridades.