Gilé: Mudar para Coexistir

É o título do documentário apresentado no passado dia 19 de Agosto, em Maputo, retratando os esforços da conservação da biodiversidade na Reserva Nacional do Gilé, no âmbito do Projecto financiado pela União Europeia visando o reforço da sustentabilidade financeira e a preservação da biodiversidade da Reserva Nacional do Gilé, na província da Zambézia.

A curta metragem retrata alguns resultados que o projecto conseguiu alcançar, nomeadamente: repovoamento da flora e fauna com introdução de 50 zebras e 50 boi-cavalos; redução da caça furtiva; reflorestamento e redução do desmatamento; mais oportunidades económicas a volta da reserva; mitigação das mudanças climáticas e; crescente sustentabilidade financeira das zonas de conservação e emergência do ecoturismo.

O evento de lançamento, na Fundação Leite Couto, incluiu um debate sobre aspectos em torno da sustentabilidade financeira da Reserva do Gilé que contou com uma sala repleta de várias entidades que tem apoiado o sistema nacional das áreas de conservação, entre eles: BIOFUND, União Europeia, Fundo Nacional de Desenvolvimento Sustentável, WWF, WCS, WWF, KfW, USAID/SPEED+, AFD, ANAC, UEM, RNG, RNN; IGF, COSVI, Carbon Sink, e outros.

O filme traz um enfoque sobre áreas como a educação ambiental, inovação sustentável e  participação das comunidades locais, através dos comités de gestão dos recursos naturais e as boas práticas de preservação da biodiversidade. De acordo com Alexandra Jorge, Directora de Programas da BIOFUND “o filme é uma boa amostra de actividades positivas que estão a ser feitas com as comunidades ao redor da RNG e podem ser replicadas em outros projectos”.

Recorde-se que a Reserva do Gilé é uma das áreas que também beneficia de apoio financeiro canalizado pela BIOFUND e que, em 2018, esta organização desembolsou aproximadamente duzentos mil dólares para algumas áreas críticas no funcionamento desta área de conservação.