Ter a coragem de seguir um sonho, aproveitar as oportunidades e experiências para construí-lo

Exposição sobre a biodiversidade de Moçambique

hs-img

“A visita à exposição foi uma oportunidade impar para complementar os meus conhecimentos sobre a rica biodiversidade de Manica e de Moçambique no global, com particular destaque para algumas espécies endémicas de flora” afirmou Chilasse Salvador Fernandes, jovem formado em Ecoturismo e Gestão de Fauna Bravia, pelo Instituto Superior de Manica, durante a ultima  edição da exposição de biodiversidade, com o título A Cultura da Conservação e o Desenvolvimento Sustentável, realizada em Manica, no centro de Moçambique.

Moçambique é o habitat de uma rica flora com 6500 espécies de plantas, das quais mais de 300 espécies de plantas estão na lista vermelha da IUCN e 22% são endêmicas, uma fauna terrestre com 726 espécies de aves, 171 espécies de répteis, 85 de anfíbios (dos quais 28 são endémicas) e 3075 espécies de insectos.

É nesse enredo que em 2011 a criação da BIOFUND, uma organização nacional privada, de utilidade pública, sem fins lucrativos, ganhou força na perspetiva de agregar sustentabilidade ao financiamento das áreas de conservação da biodiversidade em Moçambique. Desde o seu lançamento público em 2015, decorrente de uma diversidade de contribuições de mais de 100 parceiros e colaboradores, uma das decisões que a BIOFUND teve foi a de actuar sobre as chamadas causas subjacentes da perda de biodiversidade. Entre outros aspectos, a necessidade melhorar a consciencialização da sociedade civil sobre a importância da biodiversidade, especialmente os jovens, foi identificada entre os aspectos prioritários.

Foi então que em 2015, em Maputo, aquando do seu lançamento oficial, que a BIOFUND decidiu abraçar o sonho e lançar aquela que muitos consideram a maior exposição itinerante de biodiversidade do Pais.

Chilasse Salvador é apenas uma das mais de 13 000 pessoas que já tiveram a oportunidade de testemunhar esta grande jornada que em cinco anos conseguiu alcançar metade das capitais provinciais do Pais e envolveu mais de 120 escolas para além de cerca de 200 parceiros nacionais e internacionais, bem como, vários jovens universitários que têm recebido formação de guia a cada edição, com potencial para se tornarem nos futuros lideres da conservação. Esta longa caminhada tem ilustrado, com recurso a diferentes tecnologias, alguns dos principais ecossistemas e espécies de flora e fauna que podemos encontrar nos diferentes habitats do Pais. A nível do CAFÉ network é a maior iniciativa do género promovida por um fundo ambiental.