A Nossa Biodiversidade

A riqueza de Moçambique em recursos naturais pode também traduzir-se pelo número e importância das suas regiões ecológicas.

Embora não haja total coincidência de critérios entre os diferentes sistemas de classificação das regiões ecológicas, existe unanimidade no reconhecimento daquelas cuja importância transcende o nível local ou o quadro regional.

Entre as 14 regiões ecológicas que existem em Moçambique, algumas são consideradas de importância global:

  • Corrente das Agulhas;
  • Região Ecológica da Costa Leste de África;
  • Lagos do Vale do Rift;
  • Florestas das Montanhas do Sul do Rift;
  • Mangais da África Meridional;
  • Florestas Orientais e Meridionais de Miombo;
  • Zonas Húmidas do Delta do Zambeze.

Moçambique é o habitat de uma rica flora com 6000 espécies de plantas, das quais mais de 300 espécies de plantas estão na lista vermelha da IUCN e 22% são endêmicas, uma fauna terrestre com 726 espécies de aves, 171 espécies de répteis, 85 de anfíbios (dos quais 28 são endémicas) e 3075 espécies de insectos.

De interesse para o turismo é a ocorrência em Moçambique de todas as espécies emblemáticas da fauna selvagem, com destaque para o elefante, o búfalo, o hipopótamo, o leão, o leopardo, a hiena, o mabeco e o crocodilo.

A extensão da costa moçambicana é de 2.770 km, divididos em três grandes regiões naturais, particularmente a costa dos corais, a costa pantanosa e a costa das dunas parabólicas. Os recifes de coral cobrem cerca de 1.860 km2 ao longo da costa moçambicana. A maioria concentra-se na costa norte do país, onde aparecem quase continuamente desde as Ilhas do Arquipélago das Quirimbas até à Primeira e Segunda Ilhas. Foram identificadas até hoje cerca de 194 espécies de coral.

Novas espécies, como por exemplo de morcegos e lesmas marinhas continuam a ser descobertas quando missões científicas visitam áreas isoladas e remotas de Moçambique.

mapa01