Desafios por de trás da fiscalização da biodiversidade: uma história que inspira

Créditos---BIOFUND1

Trabalhar como fiscal nas Áreas de Conservação é uma tarefa arriscada mas que me enche de orgulho!” Esta é uma declaração de Felizardo Sinaportane, fiscal no Sábié Game Park.

Felizardo tem 46 anos de idade e trabalha como fiscal desde 2012. Desde cedo sempre foi apaixonado pela natureza, tendo trabalhado também anteriormente durante 4 anos como marinheiro.

Apesar desta paixão nem tudo é um mar de rosas.  Este fiscal tinha todos os motivos para desistir deste trabalho pois em 2016 durante uma ronda de patrulha e perseguição de caçadores furtivos, ele e alguns policiais foram brutalmente atacados pela comunidade, que via na caça furtiva uma fonte de rendimento fácil. Após este ataque, Felizardo conta que teve ferimentos graves tendo ficado impossibilitado de trabalhar por mais de um ano.

Em conversa com a equipa da BIOFUND, Felizardo contou que a relação do parque com a comunidade é muito complicada, tendo acrescentado que os fiscais só podem perseguir os caçadores furtivos dentro das Áreas de Conservação.

Mesmo com tantos motivos para desistir, Felizardo continua firme e forte a trabalhar para a conservação da Biodiversidade.

“O homem é chefe de todos os animais e eu vou continuar a trabalhar pela conservação da natureza.”

Cheio de entusiasmo, Felizardo Sinaportane prossegue as suas actividades e procura incentivar outras pessoas para trabalharem na conservação da biodiversidade.

Não deixe de seguir a nossa página e conheça mais histórias sobre a conservação da biodiversidade.