DIA MUNDIAL DAS ZONAS HÚMIDAS: A água, zonas húmidas e vida são inseparáveis

Dia-Mundial-das-Zonas-Húmidas

Decretado em 1971, na cidade iraniana de Ramsar, 2 de Fevereiro marca a celebração internacional da adopção da Convenção sobre as Zonas Húmidas, ou simplesmente a Convenção de Ramsar. Uma convenção que visa promover a cooperação internacional e incentivar as acções para uma gestão racional e sustentável das zonas húmidas para a manutenção da vida da humanidade e da biodiversidade.

As Zonas Húmidas são ecossistemas de transição entre os ambientes aquáticos e terrestres, distribuídos em áreas de pântano, águas naturais ou artificiais, permanentes ou temporárias, com água estática ou corrente, fresca, salobra ou salgada, incluindo áreas marinhas com profundidade, na maré baixa, que não exceda seis metros de profundidade.

Encontrando-se entre as mais produtivas do mundo, as zonas húmidas sustentam a humanidade e a natureza, providenciando uma série de serviços ecossistémicos insubstituíveis a nível global, como a água potável, biofiltragem de água, habitat para várias espécies migratórias, mantêm o equilíbrio de vários ecossistemas e contribuem para atenuar os efeitos das alterações climáticas.

Anualmente 200 novas espécies de peixes são descobertas em zonas húmidas e mais de 1 bilhão de pessoas depende directamente deste ecossistema para a sua sobrevivência.

Contudo, apesar da sua importância, o crescimento populacional, a urbanização costeira, a poluição, e o consumo irresponsável de água coloca uma pressão irreversível sobre as zonas húmidas.

Hoje, cada um de nós é chamado a contribuir para a protecção das zonas húmidas, tomando decisões com consciência ambiental, tal como aumentar a eficiência do uso de água, sensibilizar as populações para o uso sustentável da água, não destruir zonas húmidas, restaurar zonas impactadas e integrar este ecossistema no planeamento territorial e na gestão de recursos naturais.

Moçambique é signatário da Convenção de Ramsar, sobre Terras Húmidas desde 2004 (https://www.ramsar.org/wetland/mozambique), visando garantir a implementação de acções de proteção e conservação destes ecossistemas aquáticos, pelo reconhecimento do papel que desempenham no equilíbrio ecológico. Moçambique tem actualmente duas áreas proclamadas Ramsar, que cobrem uma área total de 4,534,872 hectares, nomeadamente o Complexo de Marromeu (que inclui o Delta do rio Zambeze, onde a BIOFUND apoia a conservação da biodiversidade) e o lago Niassa e a sua zona costeira.