BIOFUND VAI DESEMBOLSAR CERCA DE USD 16 MILHÕES PARA ACTIVIDADES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM 2023

O Conselho de Administração da Fundação para a Conservação da Biodiversidade – BIOFUND, aprovou na sua XXVI Sessão realizada a 1 de Dezembro de 2022, o orçamento de USD 16 milhões para apoiar as várias actividades de protecção da biodiversidade no país em 2023.

Com esta cifra, a BIOFUND vai apoiar não só o funcionamento das Áreas de Conservação do sector público e do sector privado, mas também algumas áreas comunitárias.

Para assegurar o alcance dos resultados previstos para 2023, a BIOFUND vai dar continuidade à implementação dos projectos orientados para o apoio a gestão, administração e melhoria dos sistemas de fiscalização das Áreas de Conservação, bem como ao engajamento das comunidades na gestão sustentável dos recursos naturais com ênfase na educação ambiental e fortalecimento das capacidades dos Comités de Gestão de Recursos Naturais. Destes projectos, destacam-se o MozNorte e MozRural (ambos com apoio do Banco Mundial) que preveem iniciativas de criação de novas Áreas de Conservação Comunitárias na paisagem do Programa Tchuma Tchato, no distrito de Zumbo, província de Tete, no bloco L4 na Reserva Especial de Niassa, Distrito de Mecula e na paisagem do Programa Chipange Cheto, distrito de Sanga na Província de Niassa.

O outro projecto de destaque para 2023 é o PROMOVE Biodiversidade (com apoio da União Europeia) onde se prevê o apoio à translocação de cerca de 200 animais de grande porte para o Parque Nacional do Gilé, a contratação de 30 fiscais e equipa técnica administrativa para apoiar a administração da Área de Protecção Ambiental das Ilhas Primeiras e Segundas (APAIPS) e a instalação de um centro de pesquisa no Monte Mabu. Este projecto vai ainda apoiar na identificação e financiamento de 4 iniciativas comunitárias de geração de renda nas 3 áreas beneficiárias.

Relativamente a iniciativas de criação de um ambiente favorável à conservação, em 2023 a BIOFUND prevê intensificar acções de consciencialização ambiental com a continuação de realização de exposições de biodiversidade e outras actividades de educação ambiental. Através do Programa de Liderança para a Conservação de Moçambique (PLCM) pretende-se elevar a capacidade de liderança dos profissionais do Sistema Nacional das Áreas de Conservação (SNAC) com o suporte de cursos de curta duração para funcionários do SNAC, motivar e atrair mais jovens para o Sistema de Conservação através da continuação de estágios pré-profissionais, subvenções de pesquisa e bolsas de estudo para Mestrado.

De referir ainda que, o orçamento previsto para 2023 será financiado pelo Banco Mundial (IDA, GEF), em 51%, Governo Sueco (SIDA) em 12%, União Europeia em 12%, pela contribuição da BIOFUND com fundos próprios em 13%, AFD/FFEM com 8% e os restantes 4% provenientes outros doadores. Este financiamento contribuiu para o aumento do orçamento de 2023 em aproximadamente USD 2 Milhões comparativamente ao valor alocado para 2022.

Em termos de realizações, 2022 teve um grande destaque para a BIOFUND, tendo sido marcado pela passagem do seu 10º aniversário, celebrado sob lema “Vamos fazer mais pela biodiversidade”. No âmbito deste lema, durante o ano, a BIOFUND desenvolveu varias actividades em prol da conservação da biodiversidade, tendo criado uma sala de conservação na Escola Secundária de Sussundenga, estabelecido uma sala de exposições permanente no seu novo escritório, iniciado 2 grandes projectos, MozNorte e MozRural, assinado um acordo para um novo projecto de USD 19 Milhões com duração de 5 anos, financiado pelo Governo Sueco e, entre outras actividades, alcançou cerca de 14 Mil pessoas em acções de consciencialização ambiental em varias zonas do pais.

Em 2023, a BIOFUND pretende fazer ainda mais pela biodiversidade, implementando as diferentes acções que vão contribuir para a protecção e utilização sustentável dos recursos naturais em áreas terrestres e marinhas em todo país.