Parque Nacional do Gilé Reforça Actividades de Apicultura para o Desenvolvimento das Comunidades Locais

O Departamento de Desenvolvimento Comunitário do Parque Nacional do Gilé, realizou entre os dias 11 de Agosto a 8 de Setembro de 2021, actividades de avaliação do estado actual de implementação da apicultura em benefício das comunidades locais.

A prática da apicultura enquadra-se numa série de actividades de sensibilização comunitária que o Parque Nacional do Gilé tem vindo a desenvolver com o objectivo de promover o uso sustentável dos recursos naturais e desenvolvimento comunitário. Alem destas actividades, destaca-se também o combate a queimadas descontroladas e degradação florestal, a mitigação de conflitos Homem-fauna Bravia e o uso de produtos florestais não madeireiros.

Neste contexto, foram feitas entrevistas aos beneficiários, auscultando sobre o seu conhecimento relativo à importância da apicultura, à segurança na exploração do mel, às técnicas utilizadas na gestão, recolha e produção de mel, bem como de outros produtos derivados. Para além das entrevistas, foi feito o acompanhamento aos apicultores  no seu local de exploração e a observância das técnicas e  métodos usados em todo o processo de exploração e extração de mel.

Esta actividade resultou na colheita de 24,610 Litros de Mel, num total de 12 comunidades beneficiárias do Parque Nacional do Gilé, nomeadamente: Ratata, Munhado, Mihecue, Naheche, Vassele, Namurua, Nacurugo, Muicune, Mucucune, Pipine, Nipamo e Musseia.  O mel colhido será destinado à comercialização, e o valor monetário a obter será reinvestido em benefício das comunidades produtoras, para adquirir outros produtos básicos para a subsistência das mesmas comunidades.

A apicultura é uma das actividades comunitárias que se pretende relançar e expandir com os fundos do Programa PROMOVE Biodiversidade, visando criar alternativas de sobrevivência das comunidades que vivem dentro e fora do Parque Nacional do Gilé, uma das 3 áreas beneficiárias do Programa financiado pela União Europeia e implementado pela Fundação para a Conservação da Biodiversidade (BIOFUND) em parceria com a Administração Nacional da Áreas de Conservação (ANAC).