PROMOVE Biodiversidade arranca com pesquisas aplicadas e estudos participativos no Parque Nacional do Gilé

A componente de pesquisas aplicadas e estudos participativos do Programa PROMOVE Biodiversidade (um financiamento da União Europeia) inicia actividades com o primeiro grupo de pesquisadores no Parque Nacional do Gilé (PNAG).

Esta componente do programa tem como principal objectivo aprimorar os instrumentos que possam influenciar no processo de tomada de decisão na gestão de recursos naturais e melhoria dos meios de subsistência das comunidades que vivem à volta da Área de Conservação.

No Parque Nacional do Gilé, as pesquisas envolvem 3 grupos diferentes, nomeadamente: i) a Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal da Universidade Eduardo Mondlane que vai fazer um estudo de flora, especificamente sobre a regeneração da Floresta do Miombo após queimadas e também fará o levantamento das espécies do grupo das Cycades e das Orquídeas do PNAG; ii) a Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade Lúrio (Delegação do Niassa) que vai fazer um estudo de Fauna, especificamente sobre a dinâmica das espécies que foram reintroduzidas no passado e a avaliação do impacto da macrofauna na estrutura da vegetação do PNAG; iii) e o terceiro grupo é da Faculdade de Educação e Comunicação da Universidade Católica de Moçambique (Delegação de Nampula) que vai fazer um estudo socioeconómico, especificamente sobre o impacto do crescimento demográfico da população que vive arredores do PNAG na conservação da biodiversidade desta Área de Conservação.

Espera-se que os resultados destas pesquisas possam trazer esclarecimentos sobre o estado de conservação de algumas espécies, a confirmação da ocorrência ou não de algumas espécies de flora e que, com base nestes resultados sejam estabelecidos os limites de utilização dos principais recursos explorados pelas comunidades arredores do parque.

As pesquisas terão uma duração máxima de 2 anos e 6 meses, estando prevista a realização de pelo menos 6 seminários para a divulgação dos resultados obtidos, a nível local e nacional. Esperamos que esta iniciativa tenha também como resultado adicional, o fortalecimento e valorização das equipas de pesquisa no nosso país. Fique atento ao PROMOVE Biodiversidade e acompanhe a evolução destas actividades.