Actualizado a 01/06/2022


Surgimento do BIO-Fundo de Emergência e
Impacto do COVID-19 na conservação da biodiversidade

A pandemia do novo coronavírus (COVID-19), tem vindo a gerar grandes impactos negativos em todo mundo, afectando não apenas vidas humanas, mas também os meios de subsistência. Devido ao modo de transmissão e disseminação do vírus (rápida propagação quantitativa e espacial da doença), aliado à ausência de cura, vários países à semelhança de Moçambique, sentiram-se obrigados a tomar medidas como forma de retardar a propagação do vírus através da declaração de medidas de confinamento, com vários efeitos sociais, económicos, ambientais e políticos, que se fazem sentir a todas escalas e níveis, em particular no sector de turismo.

De acordo com a Confederação das Associações Económicas de Moçambique, CTA, até ao fim de Maio de 2020, mais de 22 000 profissionais dos estabelecimentos culturais e turísticos em Moçambique, perderam os seus empregos devido às consequências económicas da pandemia do COVID-19 e mais de 800 fiscais das Áreas de Conservação   poderiam perder os seus postos de trabalho que são dependentes das receitas de turismo.

Neste contexto, a Fundação para Conservação da Biodiversidade – BIOFUND criou em Junho de 2020, um programa de apoio de emergência imediato denominado ‘’BIO-Fundo de Emergência’’ sob o lema ‘’Protegendo os Recursos Naturais em Tempos de Crise’’ com o objectivo de canalizar recursos financeiros para as Áreas de Conservação em Moçambique e permitir o funcionamento básico das actividades de fiscalização e patrulhamento durante o período em que não existiam receitas turísticas devido à pandemia do COVID-19, bem como fornecer alguns ganhos económicos alternativos às comunidades locais ao redor das Áreas de Conservação.

O BIO-Fundo de Emergência é um dos vários fundos/modalidades de apoio da BIOFUND ao Sistema Nacional das Áreas de Conservação. Clique aqui para saber mais sobre outros tipos de apoio da BIOFUND.

Modalidades de apoio

Fase 1

Apoio apenas para o Sector Privado

Doações para pagamento de 50% dos Salários de todos fiscais e pessoal de apoio

Período: Julho 2020 – Setembro 2020

Fase 2

Inicio das doações ao sector público

Operadores públicos e privados: Pagamento de 100% dos salários de todos fiscais e pessoal de apoio

Doações  para o pagamento de custos operacionais: Pagamento de taxa de concessão, ração, combustível, uniformes para fiscais, comunicação, apoio comunitário

Outras actividades: Pagamento de trabalhos comunitários (abertura e manutenção das vias de acesso)

Período: Outubro 2020 – Dezembro 2021

Valor Desembolsado
para as Áreas de Conservação

3.3 Milhões de USD

Beneficiários
do BIO-Fundo de Emergência

Até Dezembro 2021

Áreas Públicas Legenda Áreas Privadas Áreas Comunitárias Kilometers 0 250 500 N ;
  • Parque Nacional de Quirimbas
  • Parque Nacional de Gilé
  • Parque Nacional de Magoé
  • Parque Nacional do Arquipélago do Bazaruto
  • Parque Nacional de Zinave
  • Parque Nacional de Banhine
  • Parque Nacional do Limpopo
  • Reserva Especial de Niassa
  • Reserva Nacional de Pomene
  • Reserva Marinha Parcial da Ponta D’OURO
  • Reserva Especial de Maputo
  • Coutada Oficial nº 11
  • Sábiè Game Park
  • Muthemba Safaris
  • Safáris de Moçambique
  • L8
  • L9
  • Nicage
  • Luwire-Lugenda Wildlife Reserve
  • Mahimba Game Farm
  • Dombawera/Mashambanzou/Ngalamo Safaris
  • Chipanje Chetu
  • Tchuma Tchato

Impactos Alcançados do BIO-Fundo de Emergência

BIOFUND - Emergencia-18

1066

FISCAIS
E PESSOAL
DE APOIO

Que permanecem nos seus postos de trabalho

BIOFUND - Emergencia-17

3035

PATRULHAS
POR
MÊS

São asseguradas

BIOFUND-Emergencia-18-200x2531

13,139,211

HECTARES

De biodiversidade protegida

Notícias

Documentos Relevantes

Parceiros

Doadores

governo-suecia-logo-2